Já abriram as inscrições para o Aprender na Micolandia

Já conhece a Micolandia como um espaço de brincadeira e diversão, que tal agora associá-lo também a um espaço de partilha, novas experiências e aprendizagens?

A pensar nas crianças que frequentam o 1º Ciclo do Ensino Básico(dos 6 aos 10 anos), criámos um espaço de acompanhamento da realização dos T.P.C.

Depois dos trabalhos / estudo feitos têm sempre tempo para brincadeira livre no nosso parque de diversões até os pais os virem buscar.

De 2ª a 6ª feira das 17h30 às 19h30.

A partir de 35€ por mês.

Possibilidade de ter Serviço de Transporte!

Vamos levar a animação e alegria à Aldeia SOS de Bicesse

Ajude-nos a chegar aos 10.000 fãs, para a Micolandia levar alegria e animação às crianças da Aldeia SOS de Bicesse!
A Aldeia SOS de Bicesse é a mais antiga de Portugal e comemora 50 Anos de existência no dia 29 de Outubro.
A Micolandia quer juntar-se a esta comemoração, fazendo animação das crianças no dia da festa do 50º Aniversário!
E você tem de nos ajudar, fazendo um “gosto” na nossa página… quando chegarmos aos 10.000 vamos divulgar as dinâmicas e atividades que faremos para divertir as crianças.
Aldeias de Crianças SOS é uma Organização Não Governamental presente em 134 países que tem como missão fazer com que cada criança pertença a uma família e cresça com amor, respeito e segurança.
Atualmente existem três Aldeias SOS em Portugal, situadas em Bicesse (Cascais), Gulpilhares (V.N.Gaia) na Guarda e o Programa de Fortalecimento Familiar em Rio Maior, Guarda e Oeiras, acolhendo e acompanhando mais de 250 crianças.
Em Portugal, já cresceram mais de 500 pessoas nas três Aldeias SOS, nos últimos 50 anos. Atualmente, estão acolhidas cerca de 120 crianças, em 17 casas, entre as quais existem 28 fratrias, e com média de idades de 14 anos. A taxa de sucesso escolar das crianças e jovens acolhidas nas Aldeias SOS Poruguesas é de 88%, estando 92% a frequentar a escola e 7% em busca de emprego ou já a trabalhar.
No Programa de Fortalecimento Familiar, existe atualmente uma taxa de 90% de famílias autónomas na proteção às crianças, após intervenção das Aldeias de Crianças SOS.